Site name

Missões a partir de casa!

"Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo...” (Atos 1:8). “E todos ficaram cheios do Espírito Santo...” (Atos 2:4)

John Stott, erudito expositor bíblico, disse que, antes de Jesus enviar a igreja ao mundo, enviou o Espírito Santo para a igreja. A obra do Espírito e o testemunho da igreja são inseparáveis. O Espírito Santo capacitou a igreja para ser testemunha tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia, Samaria e até aos confins da terra. O propósito de Deus é o evangelho todo, por toda a igreja, em todo o mundo. Atos 1.8 é a base missionária de Jesus. É a agenda missionária da igreja. Jerusalém é o nosso coração, nossa casa, nossa igreja, e até aos confins da terra. Meditemos:

1. CAPACITAÇÃO

O Espírito Santo veio para encher a todos de poder para testemunhar o Evangelho da graça de Deus. O poder do Espírito é como usar uma serra de cortar madeira. Ela precisa primeiro estar bem afiada. Somente os que recebem o poder do Espírito Santo estão capacitados para realizar a obra de Deus, o tempo todo, em todo lugar, a todas as pessoas, até o cumprimento completo da obra. Em vão é o esforço humano sem o revestimento do Espírito. A manifestação de poder é essencialmente indispensável na realização da obra missionária. Charles H. Spurgeon disse que é mais fácil um leão tornar-se vegetariano, do que uma vida sequer ser salva sem a obra do Espírito Santo. “Ninguém diz: Senhor, Senhor, se não for pelo Espírito”. Só os capacitados pelo poder do Espírito Santo realizarão a obra de Deus. Nenhuma outra preparação, por mais refinada, substitui a capacitação do Espírito Santo. Por mais que alguém conheça a Bíblia, decore versículos, memorize capítulos, ensine com esmero, pregue com sabedoria, pode jamais cumprir a missão, sem a capacitação do poder do Espírito Santo. Só um coração cheio do fogo do Espírito, olhos em chamas pelas almas perdidas, mente iluminada, pode realizar maravilhas no quesito obra missionária. Só o Espírito Santo pode capacitar o mensageiro, aplicar eficazmente a mensagem e abrir o coração dos ouvintes, dando-lhes vida nova.

2. MÉTODO

Jesus não comissionou o governo para a proclamação do evangelho nem mesmo delegou essa sublime tarefa aos anjos. Se nós nos calarmos seremos culpados de uma omissão criminosa. Somos atalaias de Deus. Se o ímpio morrer em sua impiedade sem o avisarmos, Deus cobrará de nós o seu sangue. Somos embaixadores em nome de Cristo. Deus nos confiou o ministério da reconciliação e a nossa missão singular é rogar aos homens que se reconciliem com Deus.

3. AÇÃO

A obra missionária tem que ser feita aqui, ali e além fronteiras ao mesmo tempo. Porém, o ponto de partida é o nosso coração, nosso lar, nossa igreja, a nossa Jerusalém, onde estamos estabelecidos. Não teremos autoridade para pregar para os de fora se não estamos testemunhando para os de dentro. Não podemos começar com os confins da terra, se a nossa própria Jerusalém ainda não foi impactada com o poder do evangelho. Não podemos pregar aos estranhos se primeiro não fizermos conhecido o evangelho em nossa própria família. Quando Jesus libertou e salvou o endemoninhado gadareno, não permitiu que ele o acompanhasse para um trabalho itinerante, mas enviou -o de volta aos seus. Nossa família, nossa parentela e nossa cidade precisam ser os primeiros recintos a serem atingidos pelo evangelho. “Levantem os olhos e vejam os campos que estão brancos para a ceifa” (João 4:35). O tempo de missionar é agora! Façamos a obra enquanto é dia!

Pr. Ceny Tavares