O Apóstolo Paulo, na conclusão da sua carta aos Romanos, faz a mais longa saudação de todas as suas cartas. Nessa conclusão, ele cita várias pessoas e algumas famílias que estavam a serviço de Deus. Essas pessoas e famílias servem de exemplo para nós ainda hoje. Vamos olhar no retrovisor da história para refletir e tirar lindas lições que valem a pena aplicar nos dias de hoje! Belíssimos exemplos que nos jogam para a frente e para o alvo supremo de servir a Deus e também aos nossos irmãos e pessoas em geral. Pense comigo:

1 – CASA DE PORTAS ABERTAS PARA HOSPEDAR

Conforme o relato de Lucas, em Atos 18:3, o apóstolo Paulo passou a morar com Áquila e Priscila. A casa deles estava de portas abertas para receber o servo de Deus. Quem recebe o servo, recebe o Senhor dele também. Paulo entrou e Jesus foi com ele para dentro daquela casa que se tornou um lugar de reunião dos irmãos, encontro de comunhão, oração, pregação, salvação e edificação na justiça. Priscila e Áquila foram cooperadores do apóstolo Paulo. A casa deles era um local onde a igreja de Deus se congregava Rm. 16.3-5,14,15. Eles eram hospitaleiros e acolhedores. Faziam da casa deles uma extensão da igreja e um porto seguro para as pessoas buscarem refúgio em Deus. Esse casal abriu seu lar para hospedar a igreja de Deus, arriscando a própria vida, pois aquele era um tempo de perseguição. Nos versículos 14 e 15, o apóstolo Paulo cita mais duas casas, onde grupos da igreja se reuniam para adorar a Deus e proclamar sua Palavra. Temos que abrir as portas das nossas casas para que as Boas Novas de Cristo sejam anunciadas, muitos se convertam e tenham seus nomes registrados no livro da vida e desfrutem das delícias eternas. Temos que trancar as portas da nossa casa na cara do encardido para que ele não entre com as suas artimanhas hostis, com cara de bonzinho para perturbar a obra de Deus. O nosso lar é um instrumento poderoso na evangelização das pessoas, na comunhão dos santos, abrigo e socorro para os necessitados. Temos que fazer de nossa casa uma extensão da igreja-Noiva do Cordeiro.

2 – CORAÇÕES ABERTOS PARA BALSAMIZAR

Rm. 16.13. O apóstolo Paulo registra de forma singular sua gratidão e reconhecimento a uma mulher que é citada apenas como a mãe de Rufo.
Não sabemos sequer o seu nome. Mãe não é somente aquela que dá a luz. Ela foi para Paulo uma mãe que lhe deu carinho, cuidado, atenção, por isso recebe seu reconhecimento e registro. Quem vive para servir, tem um coração aberto para balsamizar outros corações, vidas, pés surrados pelas estradas poeirentas da existência, tendo por fim seu nome marcado como pérola de grande valor no coração de Deus. Certamente há nomes que fazem muito no Reino de Jesus, sem nenhum reconhecimento ou registro humano, mas com a garantia de que, “aquele que der de beber um copo de água fria em meu nome, porque sois de Cristo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão” Marcos 9:41. Não existe anonimato para quem está em Cristo, realizando a sua boa obra. Nada mais extraordinário do que fazer os investimentos com o carimbo daquele que em tudo nos enriquece, nas faz frutificar e prosperar para a
toda boa obra. Mantenha seu coração aberto para ser bálsamo para os que sofrem, ser âncora que segura o barco, sem ser levado pelas tempestades da vida. Sejamos como a mãe de Rufo que além de cuidar dos seus, teve disposição, força e coragem para cuidar de Paulo. O desafio está diante de nós. O coração dos filhos de Deus tem um padrão: “ser semelhante ao coração de Jesus”. Nossa língua precisa ser medicina que leva cura; nossas palavras precisam ser mel que alimenta; nossos atos precisam ser gestos altruístas que abençoam.

3 – MÃOS ABERTAS PARA SUSTENTAR

Todo aquele que é nova criatura, está pronto para sustentar de alguma forma o necessitado. Temos quer ser pilares de sustentação assim como a
fundação de um prédio. Temos que ser ponte de passagem e nunca pedra de tropeço. Mãos que se abrem para semear a semente são mãos que recebem mais semente para semear. Rm. 16.3,6,9,12. Paulo faz menção de tantas pessoas que colocaram a mão no arado e não olharam para trás. Menciona várias pessoas que foram seus cooperadores no trabalho de Deus. Priscila e Áquila Rm. 16.3, Maria Rm. 16.6, Urbano Rm. 16.9, Trifena e Trifosa, Pérside Rm. 16.12. Jesus disse que a Seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor que mande trabalhadores para a sua seara” Lucas 10:2. A igreja de Deus deve ser uma equipe de trabalhadores. Deus nos dá a salvação e nos chama para o trabalho. Temos o privilégio de sermos cooperadores de Deus no estabelecimento do seu Reino.

Sejamos generosos as mãos abertas para sustentar!

Pr. Ceny Tavares

Deixar um comentário