Site name

Eleição de Presbíteros e Diáconos

A IVN está se preparando para eleger presbíteros e diáconos. Esta escolha depende de muita oração, sob a direção e orientação do Espírito Santo. A Palavra de Deus estabelece critérios claros acerca do perfil destes servos. À luz de 1Tm 3.1-13, vejamos o direcionamento:

1. AMOR A DEUS

O presbítero e o diácono amam a Deus acima de todas as coisas. O relacionamento com Deus é que o credencia a servir a Deus e à igreja. É fundamentalmente importante ser ovelha de Cristo e pastoreada por Ele para, em seguida, servi-lo no pastoreio das suas ovelhas. Ser exemplo do rebanho do Senhor é condição sine quanon. A igreja reflete o amor dos que amam a Cristo em primeiro lugar. Somente pessoas que amam a Deus podem estimular e encorajar outras a andarem com Deus e a amarem a Deus sobre todas as coisas. Quando Jesus escolheu seus doze discípulos, designou-os para estarem com ele. Só então os comissionou para pregar. Vida com Deus precede trabalho para Deus.

2. AMOR À IGREJA

O presbítero e o diácono amam à igreja de Deus mais do que a si mesmos. Servir nestes ministérios é algo incomparável. Quem serve por amor, não é dominador do rebanho, mas se cinge com a toalha e lava os pés empoeirados dos seus irmãos. Maior é o que serve. Quem quer ser grande, tem que ser o primeiro a se entregar para se desgastar como exemplo. Este ministério não é lugar de aparecer, mas de tornar Cristo conhecido de todos pela vida e pela palavra. Somente aqueles que amam as ovelhas de Cristo podem apascentá-las com amor e cuidado. Quem ama como Cristo, faz a vontade dele na vida do próximo.

3. AMOR À FAMÍLIA

Presbíteros e diáconos têm que ter vida familiar exemplar. A família do servo de Cristo autentica o ministério do Senhor. O presbítero e o diácono precisam ser fiéis ao cônjuge e criar os filhos no temor do Senhor. Quem não cuida bem da sua própria casa não pode cuidar da igreja de Deus.

4. AMOR A SI MESMO

O presbítero e o diácono precisam ter vida irrepreensível. Não podem ser dominados pelo vinho, nem pelo dinheiro nem pelo destempero emocional. Precisam ser íntegros em seus negócios, sábios em suas atitudes, sadios em suas palavras, generosos em seus gestos, e prudentes e sensatos em seu comportamento dentro e fora da igreja. Precisam ter corações abertos para amar, mãos abertas para ajudar e casas abertas para hospedar. Precisam desfrutar de bom testemunho dentro da família, e dentro da igreja na sociedade onde vivem. Viver corretamente, servir apaixonadamente, e andar sabiamente fazem toda a diferença.

5. AMOR À PALAVRA DE DEUS

Ser presbítero ou diácono exige amor pela Palavra, leitura da Palavra, conhecimento da Palavra, explicação da Palavra e aplicação correta das Escrituras. Eles não podem ser neófitos e imaturos espiritualmente, mas experimentados, aptos para ensinar com amor. Somente aqueles que dispõem o coração para aprender e viver a Palavra estão aptos para ensiná-la. Ele precisa ensinar os crentes mais velhos, tratando-os como pais; aos de sua idade como irmãos e aos mais novos, como filhos. É preciso nutrir o rebanho com a Palavra que sai da boca de Deus. Eles precisam se dedicar com todo esmero para apresentar o verdadeiro pão do céu que é Cristo, a todos que buscam o verdadeiro alimento. Que Deus nos dê presbíteros e diáconos segundo o seu coração!

Pr. Ceny Tavares