Site name

Como conhecer o Evangelho Verdadeiro

A que fonte devemos ir para saber o que é verdadeiro e, portanto, o que é realmente o evangelho de Jesus Cristo? Como cristãos, cremos que Deus nos tem falado em sua Palavra, a Bíblia. Além disso, cremos que o que Deus falou na Bíblia é inerrante e infalivelmente verdadeiro e, portanto, não nos leva à incredulidade, ao desespero e à incerteza, mas sim, à confiança. “Toda a Escritura é inspirada por Deus”, disse Paulo, “e útil para o ensino” (2 Tm 3.16). O rei Davi escreveu: O caminho de Deus é perfeito; a palavra do SENHOR é provada (Sl 18.30). Portanto, é a Palavra de Deus que buscamos a fim de saber o que ele nos disse sobre seu Filho Jesus e sobre as boas notícias do evangelho.

No entanto, o que devemos examinar na Bíblia para sabermos isso? Suponho que há diferentes abordagens que podemos seguir. Uma delas é considerar todas as passagens em que a palavra evangelho ocorre no Novo Testamento e tentar chegar a algum tipo de conclusão sobre o que os escritores queriam dizer quando usaram a palavra. Com certeza, há poucas passagens em que os escritores são cuidadosos em defini-la. Há coisas importantes a aprendermos dessa abordagem, mas há também desvantagens. Uma delas é que, muitas vezes, no Novo Testamento, um escritor tencionava apresentar um resumo das boas-novas do Cristianismo, sem usar, de modo algum, a palavra evangelho. Por exemplo, considere o sermão de Pedro no dia de Pentecostes relatado em Atos 2. Se já houve uma proclamação das boas-novas do Cristianismo, esse sermão foi, com certeza, tal proclamação. Todavia, Pedro não mencionou a palavra evangelho. Outro exemplo é do apóstolo João, que usou a palavra somente uma vez em todos os seus escritos no Novo Testamento (Ap. 14.6).

Permita-me sugerir, por enquanto, que cumpramos a tarefa de definir os principais contornos do evangelho cristão, não fazendo um estudo de palavras, mas sim, examinando o que Jesus disse a seu respeito, bem como o que os primeiros cristãos disseram sobre Jesus e a importância de sua vida, morte e ressurreição. Se considerarmos os sermões e os escritos dos apóstolos na Bíblia, veremos que eles nos explicam, às vezes de modo bastante breve, ou às vezes com maior extensão, o que aprenderam do próprio Jesus sobre as boas-novas. Talvez, seremos também capazes de discernir algum conjunto comum de assuntos, alguma estrutura compartilhada de verdades em torno das quais os apóstolos e os primeiros cristãos formularam sua apresentação das boas-novas de Jesus.

*Texto adaptado de “O que é o Evangelho” de Greg Gilbert - Editora Fiel.

Pr. Bruno Ferreira