Site name

Um coração puro para celebrar Jesus

“Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro em mim um espírito inabalável” (Sl 51.10).

Neste ano estamos focados na celebração que glorifica a Deus. Para celebrarmos Jesus genuinamente precisamos fazer esta oração do salmista Davi. Ele deveria ter andado no caminho da verdade. Mas, escorregou nas montanhas de neves do pecado, despencando brutalmente nas mais terríveis despenhadeiros do pecado moral. Em virtude disto, experimentou a tristeza do sofrimento atroz por ter tentado esconder a iniquidade. Pecado não confessado, gera a morte. Seu coração ficou completamente petrificado, insensível, até reconhecer, confessar, abandonar e sentir o quanto desesperadamente necessitava de um coração puro e renovado pelo Senhor. Ele faz esta oração sincera, pedindo ao Senhor um coração puro e renovado. Somente Deus, o especialista em transplante de coração petrificado, em coração de carne podia operar tal milagre. Neste episódio, aprendemos:

1. O NOSSO CORAÇÃO É IMPURO (Sl 51.10).

Nossa conversão não erradicou nossa natureza adâmica. Ainda temos um coração inclinado para o mal. Temos dentro dele um depósito de ídolos, um lixão que está sempre recebendo mais impurezas. Paulo diz: “O bem que não quero, isso faço”. O nosso coração é desesperadamente corrupto e nos arrasta para esses desejos e práticas impuras. Nossa carne ainda milita contra o Espírito. Vivemos em guerra espiritual constante. Um conflito entre o ser e o ter, entre o querer e o fazer. Somos arrastados em direções opostas.

2. O NOSSO CORAÇÃO É ENGANOSO (Sl 51.10).

Nosso coração nos engana, ludibria, zomba e desdenha com sutilezas indescritíveis. Muitas vezes somos levados como ovelhas para o matadouro. Muitas vezes a vaidade grita mais alto. Prega-se santidade, enquanto a transgressão está sendo colocada embaixo do tapete. Não se pode confiar no coração. Ele é enganoso, suas veias estão entupidas pelas gorduras dos deleites da injustiça. O coração é desesperadamente corrupto a ponto de nenhum homem, por maior que seja seu conhecimento, consegui discernir seus intentos.

3.O NOSSO CORAÇÃO NÃO SE PURIFICA (Sl 51.10).

Não somos apenas impuros, mas também impotentes. Não conseguimos limpar a nós mesmos. Não temos dimensão total de nossa impureza nem conseguimos tirar todas as manchas que enfeiam nosso caráter. Nas palavras do profeta Jeremias, somos como um leopardo que não consegue apagar suas manchas ou como um etíope que não poder mudar a cor de sua pele. Não podemos salvar a nós mesmos nem santificar nossa própria vida. Nossa incapacidade é total. Nossos desejos não são suficientemente fortes para erguermos da impureza escorados no bordão da vontade própria.

4. O NOSSO CORAÇÃO CARECE DE INTERVENÇÃO SOBRENATURAL (Sl 51.10).

Davi orou a Deus pedindo um novo coração. Ele pediu: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável”. Só Deus pode fazer esse milagre. Não é obra humana. Não se alcança esse novo coração através de ritos religiosos. Essa é uma obra soberana e exclusiva de Deus. O que não podemos fazer, entretanto, ele faz. Cabe-nos reconhecer nossa impotência e clamarmos por sua intervenção sobrenatural. Somente ele pode tirar de nós o coração de pedra, e dar-nos um coração de carne. Somente ele pode tirar de nós um coração cheio de justiça própria e dar-nos um coração humilde e quebrantado. Somente ele pode tirar de nós um coração inclinado para a impureza e dar-nos um coração que se deleita nas coisas lá do alto, onde Cristo vive. Que este grito ainda seja ouvido hoje: “Cria em mim, ó Deus, um coração novo”.

Pr. Ceny Tavares